Coluna B, dia 14/08

Diferentes e imperdíveis

O que você prefere ouvir? Um som limpo, onde se percebe todos os detalhes, até o mais ínfimo ruído? Ou uma onda sonora disforme, cheia de barulhos, rasgada com ritmos que não primam pela correção? Há lugar para todos os tipos de som, é este o meu veredicto. A Coluna B de hoje comprova essa teoria com duas bandas que apresentam formas sonoras completamente diferentes. O Gem Club, detalhista até o fim dos dias, preocupado com a limpidez de suas canções, e o Best Coast, que parece tocar com os captadores sonoros cobertos por pesados edredons enquanto ao lado do microfone um liquidificador se debulha em rodopios. Não são melhores, nem piores – apenas diferentes, e imperdíveis.

Gem Club – Acid and Everything

A primeira impressão fica grudada na cabeça: belíssimas canções esculpidas em diamante à base de piano, cobertas por um clima etéreo sem precedentes. Como um sonho suave, um voo sem rumo por imensas cadeias de montanhas, nos deixamos carregar por cada nota que se alinhava com as seguintes. As cordas entram em ação e têm o mesmo efeito que um beijo leve e demorado, um braço que se entrelaça no outro, um cheiro repentino de nuca fresca. A voz cobre os arranjos como um lençol leve envolve um corpo que se deita, aquecendo não mais que o necessário, protegendo com delicadeza.

Parece ser assim que o Gem Club quer que percebamos “Acid and Everything”, EP de estreia do duo americano formado por Christopher Barnes e Kristen Drymala. E que estreia. Seis canções que primam pela perfeição. Aqui nada sobra, nada falta, e em nenhum momento notamos qualquer superficialidade. Não dá pra dizer que temos uma grande variedade de temas e caminhos, é verdade, mas a forma como a música do Gem Club se derrama pelas nossas mãos, escorrendo entre os dedos e gotejando calmamente na nossa imaginação tem um pouco (ou um tudo) de magia. “Acid and Everything”, não me engano, é um dos registros mais inspiradores deste ano. E, mesmo depois de diversas audições, a primeira impressão continua verdadeira.

Best Coast – Crazy For You

O Best Coast é uma surpresa. Pode não ser pra você, que acompanha o dia a dia da música indie com lupa especializada e faro de detetive, mas é uma verdadeira surpresa em si. Olhe atentamente para eles, veja a face enigmática da vocalista Bethany Cosentino, ouça os aparentemente desleixados EPs da banda, e me diga: você achou, desde o começo, que o Best Coast ia pegar todo mundo pelo pé, como pegou? Tinha alguma ideia de que esses californianos iam se tornar um dos símbolos desse revival dos anos 90 que começa a dar as caras por aí? Seja sincero. Falando por mim, quando baixei alguns de seus divertidos EPs, nem imaginava que eles seriam tão falados agora, com direito a participação em campanha da All Star e tudo mais.

Mas é essa a realidade depois que “Crazy For You”, disco de estreia da turma, chegou aos ouvidos do mundo. Ficou difícil não encontrar um pouquinho de Best Coast em tudo que se vê nos blogs e sites especializados. O estilão “surf music encontra o rock lo-fi ordinário embolado com a doçura do pop anos 60”, deixando ruídos e ganidos de guitarra vazarem para dentro de nossos cérebros aos borbotões, é irresistível. Pequenas delícias como “Boyfriend”, já um hit de tamanho considerável no verão americano e europeu, as fofinhas apimentadas “The End” e “Goodbye”, a joydivisiana “Honey” ou a tristonha “When I’m With You” são de fazer qualquer moleque espinhento se apaixonar pela voz lânguida de Cosentino e sua cara de quem acabou de acordar de ressaca. E, mesmo com esse som abafado, com o jeitão de quem já passou das cinco da manhã acordado, você ainda vai querer me convencer que o Best Coast não tem nada de surpresa? É, sim, uma gratíssima surpresa.

Notinhas

Várias

Shirley Manson, lembra dela?, deu as caras novamente com uma música nova lançada diretamente no Facebook. “Pretty Horses” vai fazer parte de seu novo álbum solo, e é bem bonita. Meio folk, nada a ver com o que a ruivinha fazia no Garbage. Procure e ouça. /// Outra moça que apareceu com carreira solo foi Kathryn Calder, uma das muitas pessoas que fazem parte do New Pornographers. O disco de Calder, ao contrário do de Manson, já está disponível por aí e se chama “Are You My Mother?”. Vale a pena escutar. /// Falando em disco novo, o Klaxons viu seis músicas de seu próximo trabalho, “Surfing The Void”, vazar em qualidade ruim na internet. Desta vez, fui mais forte do que nunca e não baixei as faixas – algo que já tinha feito com uma versão em péssima qualidade do mais recente e ainda inédito disco do Interpol. Vou segurar a curiosidade. Aguenta, coração!

O Brasil em shows

E continuam as especulações e confirmações sobre shows de grandes bandas internacionais no Brasil. O blog Popload temperou a semana com duas notícias sobre duas bandas imensas. A respeito do Queens of The Stone Age, disse que se encontrou com Josh Homme, que teria lhe confirmado a presença no Brasil dia 11 de outubro (SWU!). Sobre o Arcade Fire, o blog comentou que uma fonte teria revelado que a grande banda canadense estaria fechando contrato para vir ao Brasil em breve, A data flutua entre outubro (SWU?), novembro, caso atrasem um pouco a turnê européia (Planeta Terra?), ou dezembro/janeiro, quando seriam atrações de um tal festival desconhecido que estaria trazendo Amy Winehouse ao Brasil. Respostas em breve. Até o fechamento da coluna, nenhum desses boatos foram confirmados.

Todo mundo tem que ouvir

Nina Becker é uma das cantoras mais agradáveis da nova geração, mas deixava uma lacuna escancarada por não ter um disco pra chamar de seu. mas a bela carioca resolveu isso com sobras: “Azul” e “Vermelho” são os dois álbuns da moça, lançados ao mesmo tempo, e que estão dando sopa por aí. Difícil escolher o mais bonito.

Playlist

Antony and the Johnsons – My Lord My Love
Land Of Talk – Quarry Himns
Arcade Fire – Month Of May
Nina Becker – Janela
Bluebell – Dull Routine
Annuals – Springtime
Them Bird Things – Underground
Kathryn Calder – Castor and Pollux
The Xx – VCR (Baile Funk Remix by André Paste)
Silje Nes – The Card House

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s