Coluna B, dia 10/07

Novidades antigas

Novidades. Se tem uma coisa que a Coluna B gosta de falar sobre, é isso. Bandas novas, que acabaram de sair da garagem dos pais – algumas que, mesmo abrindo shows para grandes nomes, ainda não têm nem disco lançado – são assuntos preferidos deste espaço. Mas hoje vamos fazer um pouquinho diferente. Os dois discos mostrados aqui são de grupos que já estão na estrada faz tempo, mas que ainda não receberam os devidos créditos por suas carreiras brilhantes. Estarão aqui hoje o grupo canadense Stars, que chega ao seu quinto disco em mais de dez anos de carreira, e o Teenage Fanclub, direto de Glasgow, mais de vinte anos de estrada e chegando ao décimo disco sem perder a compostura.

Stars – The Five Ghosts
Demorou cinco longos anos (que passarem voando, pra dizer a verdade), mas o Stars finalmente lançou um outro disco arrebatador: “The Five Ghosts”. Após o estrondoso “Set Yourself On Fire”, de 2005, o coletivo canadense não conseguiu repetir o sucesso de seus álbuns anteriores e deixou um amargo gosto de decepção com o mediano “In Our Bedroom After The War”, de 2007. Eu, apaixonado por canções como  “Your Ex-Lover Is Dead”, “What I’m Trying To Say”, “Reunion”, “One More Night” e “Calendar Girl”, do discaço de cinco anos atrás, me vi perdido no meio de um monte de canções que, estranhamente, não me diziam nada – deixei “In Our Bedroom…” passar como se deixa ir embora um amor que nunca teria chances de dar certo. Eu sabia que o Stars ia voltar a me conquistar.

Foi só escutar o início calmo e cheio de sentimentos de “Dead Hearts”, a faixa número um de “The Five Ghosts”, para ter certeza que essa hora chegou. A partir deste belíssimo começo, encontro-me novamente com um grande disco do Stars de Amy Millan, Torquil Campbell, Evan Cranley, Chris Seligman e Pat McGee (todos também membros do Broken Social Scene), e vou me redescobrindo fã da banda a cada música que se segue no player. “The Passenger” tem uma pegada esperta, envolvendo os nossos sentidos para o refrão matador em que Millan dá mais um tostãozinho de sua voz de sonho, “He Dreams He’s Awake” tem na crescente tensão seu maior predicado, “Changes” é fofa, saborosa, vai nos ganhando devagarzinho e fazendo a gente cantar junto sem nem perceber. A doce “The Last Song Ever Written”, a arrebitada “How Much More” e a sorumbática “Winter Bones” fecham esse retorno do Stars ao cantinho do meu coração de onde ele nunca deveria ter saído. Demorou, mas voltou.

Teenage Fanclub – Shadows
É incrível imaginar que uma banda tão boa quanto o Teenage Fanclub, com mais de vinte anos de uma carreira quase irretocável, de grandes discos, chega ao seu décimo lançamento sem a metade do reconhecimento que merecia. Fica um sentimento próximo da revolta saber que outros grupos, que não mereceriam dois minutos de atenção se o mundo fosse justo, conseguem fazer com que a banda escocesa seja ignorada por tanta gente. Na ativa desde 1989, a banda dos compositores Gerard Love, Raymond McGinley e Norman Blake lançou este ano “Shadows”, que pode ser colocado sem nenhuma dor na consciência ao lado de grandes trabalhos da carreira do grupo, como os ótimos “Grand Prix” (1995), “Songs From Northern Britain” (1997), “Man-Made” (2005) e o grande clássico intocável, “Bandwagonesque”, que completa vinte anos em 2011. E, mesmo com tudo isso, ainda tem muita gente que não conhece o Teenage Fanclub. Está na hora de mudar essa situação de uma vez por todas. Meu conselho: comece por “Shadows”.

Mais do que isso, comece pela encantadora “Baby Lee”. São singelos quatro minutos e meio, tão viciantes que não dá pra escutar a faixa apenas uma vez – a repetição é quase instantânea – e nos remete à clássica “The Concept”, do disco de 1991. Trata-se de uma declaração de amor ao melhor estilo romântico desesperado, como dá pra perceber em um dos versos da canção: “Baby Lee I’m only trying to remind you/they had me in mind when they designed you”. Coisa linda de se ouvir. Agora, passe para sua sequência natural, a melancólica “The Fall”, desenhada sobre violões e uma dose cavalar de doçura. Já está de queixo caído? Se ainda não, apresento as influências de Big Star, Beach Boys e The Kinks e Neil Young, presenças poderosas em faixas como a deliciosa “Shock and Awe”, com uma belíssima linha de guitarras e melodias vocais absurdamente graciosas; a intimista “Dark Clouds”, embalada ao som de piano, bateria e violinos, bonita e relaxante; “The Back of My Mind”, que deixa um aroma de Smiths pelo ar com os dedilhados de Blake e McGinley; ou “Sometimes I Don’t Believe in Anything”, pérola que abre o álbum e já mostra o quão ensolarado pode ser o pop construído pelo Teenage Fanclub. E se você ainda não conhece, faça-me o favor de corrigir essa falha o mais rápido possível.

Notinhas

Queens of the Stone Age
Depois de um bom tempo ocupado com projetos paralelos, como o incrível Them Crooked Vultures, o músico Josh Homme finalmente voltou a falar sobre o QOTSA. E as notícias muito nos interessam: o ruivo está pensando em um novo disco, um novo formato de show e apresentações no Brasil ainda este ano. Ainda não está confirmado, mas o novo boato da internet é que a banda de Homme estará em um desses festivais que abundam no segundo semestre nacional. O chute é que os caras fechariam o Planeta Terra Festival. Será? Já sobre um novo trabalho, ele afirmou já ter ideias sobre como o disco soaria, e que certamente vai ser mais agitado do que seu último trabalho, “Era Vulgaris”. E sobre o novo formato de shows, Homme disse ter vontade de fazer uma série de apresentações onde tocaria um disco da banda, inteirinho, por noite. Seria sensacional, com toda certeza, e a gente espera para ver se esse formato também chegaria por aqui.

Várias
O Belle & Sebastian praticamente confirmou sua presença no Planeta Terra. Segundo o blog Popload, um agente da banda afirmou que eles estarão no Brasil para um festival que rola em novembro, em São Paulo. Alguma outra ideia de onde seria? /// Quem também pode estar com data marcada para vir novamente ao país é o Pearl Jam. Segundo o São Paulo Futebol Clube (sim, o time!), o grupo de Eddie Vedder vem em novembro tocar no Morumbi, o que ajudaria a injetar grana para que o clube reforme o estádio e o coloque dentro dos que serão usados para a disputa da copa de 2014. E mais: Rush, Black Eyed Peas e Bon Jovi também estariam confirmados. Além deles, Lady GaGa e U2 são possibilidades. /// O Daft Punk ainda não confirmou, mas as chances de seu novo trabalho, a trilha sonora da continuação de “Tron”, saírem em novembro são grandes. /// O Ting Tings já está com seu segundo disco pronto. O trabalho se chamará “Kunst” e ainda não tem data para sair, mas, segundo a banda, deverá ser um pouco mais sombrio do que o primeiro álbum. /// Peter Buck, guitarrista do R.E.M., vai participar do novo disco do Decemberists. Ele participou de três faixas, compondo e tocando, do disco que sairá em fevereiro de 2011,

Todo mundo tem que ouvir
O Mates of State você conhece já não é de hoje. Mas as músicas pelas quais a dupla Jason Hammel e Kori Gardner suspiram você não conhecia antes de ouvir “Crushes”, o disco de covers que o casal americano lançou. Corra para o download e escute versões deles para The Mars Volta, Tom Waits, Belle & Sebastian e muito mais.

Playlist
Rox – Do As I Say
Tame Impala – Solitude Is Bliss
Japandroids – Sex and Dying in High Society
Mombojó – Aumenta o Volume
Gold Panda – Rush Job
Tulipa Ruiz – Só Sei Dançar Com Você
Black Drawing Chalks – Red Love
NERD – Hot n’ Fun (Yeasayer remix)
!!! – AM/FM
Nevilton – Singela

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s